21
Ago 14

Este é um artigo de opinião e não um artigo de resumo da história:

O livro é de uma escrita de fácil leitura e em simultâneo interessante como um facilitador para a reflexão de temas filosóficos e profundos, dando-nos a conhecer ideologias e factos da cultura russa à época.

Foi com grande espanto meu que me apercebi que a história do romance de Anna Karenina com o conde wronsky, não é totalmente a história central do livro, mas que surge como uma história paralela a tantas outras. Na minha opinião Levine é talvez a personagem central do livro, aquele que tem todas as dúvidas na cabeça, aquele que no seu coração conhece Deus pelo conhecimento do bem e do mal e sem se apegar à moda da religião. Aquele que tendo tantas falhas tem tantas virtudes, as do homem simples que a cultura não domesticou nem prendeu. 

Levine é um homem do campo, permanece assim e votado ao trabalho e à família do início ao final do livro, contrariando talvez todos os outros que tendo um fundamento na crença são fracos na moral e na acção para com os outros.

Gostei ainda neste livro, das discussões e reflexões sobre o socialismo o lugar dos homens e da riqueza. Mais que um romance é um livro fruto duma cultura e duma sociedade, onde os seus costumes estão bem espelhados.

 

Recomendo vivamente a leitura.

 

publicado por Eva Sousa às 20:42

pesquisar
 
posts recentes

Anna Karenina

Visitas
web counter free
blogs SAPO